Branding visual

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Por Leonardo Henrique,
Designer Gráfico AJNET,


Branding Visual – com base na matéria publicada em Domestika, o diretor de arte Linus Lohoff (que trabalhou em agências de renome como Saatchi & Saatchi, BOROS & Vasava Studio) aborda o tema de desenvolvimento de branding visual, expondo, aliás, a sua forma de trabalhar, a começar pelo Briefing.

Branding Visual – Briefing


Aqui rececionamos a informação do cliente. Sobretudo, tentamos perceber exatamente qual o seu objetivo. Esta parte inicial é de extrema importância, pois temos de nos lembrar que estamos a trabalhar na comunicação de uma marca. Pois não queremos comunicar de forma errada, nem direcionar a marca para um caminho ao qual não pertence. Perguntas como “Quem são? De onde vêm? O que há de único na marca? Qual o público-alvo?” e até mesmo “Descrição da marca em poucas palavras”, são pontos que Linus leva aos seus clientes.

Branding visual – Investigação


Após o briefing, entramos, então, na Investigação, onde pesquisamos sobre a concorrência. Aqui é, aliás, importante realçar que se uma marca do mesmo setor está a usar uma determinada cor, seria conveniente usar uma cor diferente. Portanto, tentamos perceber como as outras marcas estão tornando-se icônicas.

Linguagem Visual


Neste tópico criamos um moodboard ou estrutura visual com base no briefing e investigação. Assim no moodboard devemos compilar imagens/fotos, texturas, padrões, cores, frases ou textos, tipografia, objetos, referências… Com efeito, existem bancos de imagens que facilitam imenso essa busca, é o caso da Google, Pinterest e Designinspiration.

Branding visual – Esboço

Agora que já sabemos o objetivo do cliente, analisamos a concorrência e temos um vasto compilado de exemplos de linguagem visual, vamos pôr mãos à obra. Com um lápis ou caneta, começamos por desenhar estilos diferentes, mas lembrando que todos têm de ir ao encontro do estudo realizado anteriormente. Após termos algumas propostas, passamos para o digital.

Cor

Você pode verificar cores em color.adobe.com e pesquisar esquemas de cores ou paletas de cores dos mais variados tipos.

Cores monocromáticas: apresenta tonalidades e matizes da mesma cor.

Análogas: é como uma extensão das monocromáticas, pois são cores próximas umas das outras na roda das cores.

Complementares: encontram-se do lado oposto da roda das cores, estas apresentam maior contraste.

Triádicas: estão igualmente espaçadas na roda das cores e conseguimos ter combinações cromáticas de 3 tons.


Branding visual – Tipografia

O tipo de letra deve sublinhar o conceito. O site Fontstand disponibiliza fontes variadas e com muita classe. Também podemos escolher fontes secundárias para comunicar outros elementos, como slogan, títulos, conteúdo.

Estilo fotográfico, ilustração e sistema gráfico

“Hoje vivemos numa sociedade de atenção, se algo não é esteticamente bonito ou valioso, não é nem reconhecido”, palavras de Linoh, que faz um apelo para utilizarmos sempre imagens de qualidade. O mesmo vale para as ilustrações, caso o seu desenvolvimento visual esteja mais voltado para essa área. O sistema gráfico também é bem-vindo. Aqui a identidade visual da marca começa a ganhar a sua forma icônica através das formas, ilustrações, fotografias, texturas, frases, padrões, cores e tipografia, todas interligadas de forma coesa, para que as pessoas, quando virem esses elementos, possam associar a marca.

MockUp


Algo importante a fazer quando estamos a criar uma identidade visual é uma boa apresentação, para, dessa forma, termos uma perceção mais real de como ficará de facto a marca. Para isso criamos mockups de onde a marca será exibida, como cartões, cartazes, montra, redes sociais… Sites como mockupworld.com e pixeden.com, tem soluções incríveis para a apresentação dos seus trabalhos.

Por fim, crie um manual de identidade corporativa. Pode ver como fazê-lo no nosso post recente.

Para mais ideias subscreva

VAMOS IMPRESSIONAR JUNTOS?